Santos no Tejo: festas populares celebram-se em santódromo na capital

INFORMAÇÕES

Fonte:

Está a chegar a Lisboa o maior santódromo da capital. Sim, leu bem. Não é sambódromo e sim santódromo, um espaço dedicado a uma das celebrações mais aguardadas do ano e que promete marcar pela diferença.

A decorrer no recém-inaugurado espaço da Doca da Marinha, o Santos no Tejo vai trazer à cidade 10 dias de festa, música e gastronomia, numa versão “mais confortável e segura dos Santos Populares”.

«É um evento diferente, porque é que o um recinto controlado. Vamos dar uma experiência de Santos mais arejada, à beira do rio, com curadoria de espaço e de artistas em parceria com a SIC e a Rádio Comercial», revela em entrevista à Marketeer Bernardo Delgado, responsável pelo grupo Lean Man, que lidera a exploração da concessão terrestre da Doca da Marinha.

Quim Barreiros, Ana Malhoa, Herman José, Sérgio Rossi, Ruth Marlene, Mónica Sintra, Rebeca, José Malhoa, Emanuel e Ágata são os nomes com os quais os visitantes poderão contar entre 1 e 12 de Junho. Mas a animação não se fica por aqui, estando confirmados os espectáculos Santos in the Night com a equipa das manhãs da Rádio Comercial e o Insert Coin, com João Paulo Sousa e Joel Rodrigues.

A apresentação das novidades decorreu a bordo de um catamarã onde a organização, os artistas e as marcas parceiras – como a Guloso, a amanhecer e a Heineken – deixaram no ar não só o que se pode esperar deste kick off, como de futuras edições. Sem confirmar nem desmentir, Bernardo Delgado assume que o factor marítimo é uma possibilidade no futuro dos Santos no Tejo, já que acredita que «o caminho de ligação a Lisboa é o rio».

O programa – da música à gastronomia e entretenimento

Com abertura diária de portas às 17h, a primeira edição deste santódromo conta com o apoio da Freguesia de Santa Maria Maior e arranca a 1 de Junho com a actuação do mestre Quim Barreiros, recebendo no dia seguinte Ana Malhoa e a equipa das manhãs da Comercial a 3 de Junho, com o “Santos in the Night”. Para encerrar o primeiro bloco de quatro dias de festa, sobe ao palco Herman José.

Com uma pausa para descanso a 5 e 6, o “maior santódromo da capital” regressa a 7 de Junho e promete não mais parar até ao Santo António. Das actuações de Sérgio Rossi, Ruth Marlene, Mónica Sintra, Insert Coin, Rebeca, José Malhoa e Ágata ao Arraial da SIC, que trará às ruas de Lisboa o camião do Domingão, e o concerto de Emanuel, os Santos no Tejo prometem não deixar ninguém indiferente. Mas Bernardo Delgado garante que as surpresas serão muitas e que passam também por «cruzar a portugalidade com DJ sets e algumas coisas muito próprias de Lisboa».

E porque nem só de música se faz uma festa, o evento garante espaços gastronómicos abertos a toda a gente, como o novo Anfíbio e os três quiosques com assinatura do chef Miguel Rocha Vieira, sushi, sardinhas assadas, entre outros. Já noutro tipo de animações, as marcas que se juntaram aos Santos no Tejo para dar corpo e forma a esta nova forma de celebrar as Festas Populares asseguram activações típicas e tradicionais desta época. Amanhecer, Hyundai, MEO, SIC, Rádio Comercia, SAPO, JC Decaux, Olá, Guloso, Sagres, Pouca Roupa, Delta, Aperol e MB Way são os parceiros do evento.

Preparado para receber oito mil visitantes por dia, embora neste momento a organização aponte para uma lotação esperada de quatro mil, os Santos no Tejo têm bilhetes à venda por 5 euros no formato “early sardines”, que inclui uma bebida à escolha entre água, refrigerante e cerveja, até 23 de Maio. A partir dessa data o valor do bilhete diário passará a 7,5 euros, sendo que à porta terá um custo de 10 euros, sem bebida incluída.

Texto de Beatriz Caetano

Partilhar

Também recomendamos

Notícia

Na apresentação do projecto que quer dar nova vida à Doca da Marinha, o presidente da Câmara de Lisboa reforçou a importância da taxa turística. “Quando vamos ao grande Museu do Tesouro Real vemos a aplicação da taxa turística, estamos aqui e vemos também.”

VER
Notícia

Na apresentação do projecto que quer dar nova vida à Doca da Marinha, o presidente da Câmara de Lisboa reforçou a importância da taxa turística. “Quando vamos ao grande Museu do Tesouro Real vemos a aplicação da taxa turística, estamos aqui e vemos também.”

VER
Notícia

Na apresentação do projecto que quer dar nova vida à Doca da Marinha, o presidente da Câmara de Lisboa reforçou a importância da taxa turística. “Quando vamos ao grande Museu do Tesouro Real vemos a aplicação da taxa turística, estamos aqui e vemos também.”

VER