Preparem-se, lisboetas: a nova Doca da Marinha promete revolucionar a vida da capital

O plano de dinamização do espaço inclui a abertura de um restaurante e vários eventos ao longo do ano.

INFORMAÇÕES

Fonte:

Depois do investimento público para a nova estação Sul e Sueste, inaugurada em 2021, assim como todo o espaço envolvente, Lisboa vai voltar a sofrer alterações junto ao rio. O novo plano de dinamização da Doca da Marinha foi apresentado nesta terça-feira, 10 de janeiro, pelo concessionário do espaço, e promete grandes mudanças.

O grupo português Lean Man, liderado por Bernardo Delgado, ganhou o concurso lançado pela Associação do Turismo de Lisboa para explorar a concessão terrestre da Doca da Marinha e irá investir cerca de 3,5 milhões de euros na próxima década e meia para “transformar a doca num espaço de todos e para todos”.

“Nos próximos 15 anos, queremos dar vida, de forma disruptiva e surpreendente, ao investimento que aqui foi feito”, disse o responsável. O plano apresentado pretende “estreitar os laços dos lisboetas e turistas com o rio”, prevê a criação de 100 postos de trabalho e está dividido em três áreas: restauração, eventos e área marítimo-turística.

O primeiro espaço de restauração deverá ser inaugurado no primeiro trimestre deste ano e ficará a cargo do chef Miguel Rocha Vieira (com duas estrelas Michelin), que também está à frente dos três quiosques já abertos na Doca da Marinha.

No que diz respeito aos eventos, o objetivo é apostar numa programação regular que, entre março e outubro, trará ao espaço junto ao rio mercados gastronómicos, de plantas e flores, produtos de artesanato, concertos de jazz, Dj sets com novos talentos, exposições de arte urbana, bem como outros eventos que marcarão os momentos fortes do ano. Durante o Santos no Tejo, por exemplo, irá acontecer uma parada náutica sem precedentes. Já o Festival Gastronómico Heróis do Mar, irá celebrar os pescadores num evento dedicado ao peixe e marisco do mar português. O Winter Fanatics celebra a estação mais fria do ano com um enorme mercado de inverno.

Outra grande aposta do grupo português é a área da marítima-turística. “Reunir os principais agentes da cidade, todos com um papel tão relevante neste que é um espaço único e cheio de potencial, é sem dúvida um grande motivo de orgulho para a nossa equipa, que tem efetivamente um plano ambicioso para esta zona da cidade”, refere Bernardo Delgado.

A nova Doca da Marinha é parte integrante de um vasto projeto de reabilitação da frente ribeirinha, levada a cabo pela Associação de Turismo de Lisboa, que conta com a intervenção em espaços emblemáticos da cidade, como a Estação Sul Sueste, onde se concentram as principais empresas de marítimo-turísticas que operam no Tejo. “Este é um barco muito grande que só chegará a bom porto se todos os parceiros estiverem a bordo, sendo que este encontro, bem como o lançamento do site são um pequeno passo no âmbito do nosso objetivo de agregar e convidar todos a embarcarem nesta viagem”, destaca.

Partilhar

Também recomendamos

Notícia

Está a chegar a Lisboa o maior santódromo da capital. Sim, leu bem. Não é sambódromo e sim santódromo, um espaço dedicado a uma das

VER
Notícia

Na apresentação do projecto que quer dar nova vida à Doca da Marinha, o presidente da Câmara de Lisboa reforçou a importância da taxa turística. “Quando vamos ao grande Museu do Tesouro Real vemos a aplicação da taxa turística, estamos aqui e vemos também.”

VER
Notícia

Na apresentação do projecto que quer dar nova vida à Doca da Marinha, o presidente da Câmara de Lisboa reforçou a importância da taxa turística. “Quando vamos ao grande Museu do Tesouro Real vemos a aplicação da taxa turística, estamos aqui e vemos também.”

VER